O Diário do Capitão Rockhopper

De Club Penguin Wiki
Ir para: navegação, pesquisa
O Diário do Capitão Rockhopper
Diario do Capitão Rockhopper.png

A capa do livro.
Informações
Lançamento 13 de outubro de 2006


O Diário do Capitão Rockhopper é um livro escrito pelo próprio capitão Rockhopper e disponibilizado para leitura na biblioteca da Redação. É nele que o capitão descreve suas aventuras e explorações, inclusive quando construiu o seu navio Migrator e fez a primeira viagem à Ilha Club Penguin. Rockhopper costumava atualizar seu diário a cada vez que retornava à ilha com informações de sua última viagem, mas, mais tarde, isso deixou de acontecer, tendo um quadro de avisos nos Aposentos do Capitão tomado esse papel.

O diário do capitão contém algumas imagens, aparentemente rascunhos feitos à mão, que acompanham a narrativa do livro. Mais tarde, contudo, após Rockhopper ter ganhado uma câmera fotográfica da Tia Arctic, o diário passou a ter fotos em cores mostrando cenas das viagens do capitão. No final do livro, há uma chave que dá acesso aos Aposentos do Capitão; é um item grátis e está disponível a todos.

Índice

Sumário[editar]

Primeiro Lançamento[editar]

Clique em expandir para ler o Enredo

7 de março de 2005[editar]

Arrr! Até que enfim! Depois de trabalhar duro dia e noite durante meses, terminei de construir o meu navio! Ei, ficou uma beleza! Feito à mão desde a ponta do mastro até o fundo do casco. Batizei meu navio de Migrator e amanhã mesmo vou içar velas rumo as terras ao redor do Club Penguin. Ah, amo o Club Penguin, mas o oceano me chama.

8 de março de 2005[editar]

Hoje me despedi dos moradores do Club Penguin. Os pinguins estavam reunidos no Ancoradouro para dizer adeus... Fiquei muito comovido. A banda do Club Penguin estava tocando uma canção emocionante, quando icei as velas rumo à terras desconhecidas. Hoje a noite, só consigo ver uma coisa: a luz brilhando no Farol. Espero ver de novo essa luz quando eu voltar daqui a um mês.

17 de março de 2005[editar]

Pelas penas do pinguim! Até que enfim um tempo para respirar! Ah, que tempestade! Ei... nem sei por onde começar! Esses dias atrás, as nuvens mais terríveis que já vi se aproximaram, vindo pelo nordeste! O mar ficou bravo, as ondas quebravam e espumavam, e o vento assobiava por todo o navio. O céu escureceu. Tentei desviar da tempestade, mas ela galopou veloz sobre mim. Tudo que pude fazer foi não deixar que o Migrator afundasse! A maioria dos mantimentos caiu no mar, por isso logo dei a volta rumo ao Club Penguin. Torço apenas que essta tempestade tão assustadora não tenha passado por lá, depois de quase afundar o meu barco.

29 de março de 2005[editar]

Arrr! Aquela maldita tempestade... deve ter me tirado do curso mais do que eu pensava. Ainda não vi nem sinal do Club Penguin. Continuo seguindo minha bússola, mas queria tanto ver o piscar luminoso do Farol só mais uma vez!

5 de abril de 2005[editar]

Terra à vista! Vi uma ilha ao leste, ei, com a luneta. Como eu queria que fosse o Club Penguin, mas nem sinal de pinguins! Era uma ilha pequena com riachos de água limpa e árvores carregadas de frutas. Os barris estão cheios, e eu não vou passar fome ou sede por várias luas... quer dizer, desde que não venha outra tempestade. Foi bom colocar as nadadeiras em terra firme de novo, mas não fiquei muito tempo... minha jornada para encontrar o Club Penguin nunca termina.

18 de abril de 2005[editar]

Arrr! Estou perdido. Seja lá onde estiver o Club Penguin, não consigo encontrá-lo! Toda tarde vasculhando o horizonte procurando a luz do Farol. Mas acho que me afastei demais para conseguir ver algum sinal. Ou pior ainda: talvez o Farol tenha ficado tão destruído depois da tempestade que não ilumina mais nada nesses mares sem vida. Ei, que mistério mais misterioso... Mas mesmo assim, continuo. Sou um pinguim do mar! Vou onde o vento me levar!

17 de maio de 2005[editar]

Velejei em águas rasas hoje. Quando estava de olho na água, vi algo brilhante lá no fundo do mar. Lancei a âncora do Migrator e mergulhei. No fundo do oceano, encontrei uma caixa de metal. Amarrei em uma corda nas argolas, trouxe o baú a bordo e a abri. Ah, nunca vou esquece! Que maravilha! Que sorte a minha! Puxa vida! Achei um baú cheio até a boca de, pelas barbas do camarão, relógios! Centenas e centenas de relógios-de-pulso de ouro! Todos funcionando! Coloquei um na nadadeira, e guardei o resto no compartimento de carga. Espere só até os outros pinguins saberem disso!

20 de maio de 2005[editar]

Que sorte estranha eu tenho! Poucos dias depois de dar de cara com a arca cheio de relógios, posso dar um grande caixa de madeira flutuando ao lado do meu barco! Lancei a rede e trouxe a caixa para o convés. Pelos setes mares! Ela estava cheia de máscaras de mergulho e snkorkels! Um contêiner enorme, com 'Club Penguin' escrito na lateral. Devia ser uma nova remessa de produtos para o Club Penguin. É ótimo ver um sinal do Club Penguin, mesmo não conseguindo achar o bendito lugar! Guardei a caixa no compartimento de carga, perto dos relógios.

27 de maio de 2005[editar]

Bem, não encontrei o Club Penguin, mas vi de novo a ilha das árvores carregadas de frutas. Não há uma viva alma nessa ilha, por isso batizei de Ilha Rockhopper. Arrr! Agora tenho uma ilha! Arrr arrr!

Descoberta do Yarr[editar]

Clique em expandir para ler o Enredo

9 de junho de 2005[editar]

O Migrator e eu demos boas-vindas a um novo passageiro! Hoje de manhã, um dia de neblina bem baixa, descobri uma criatura pequena e peluda. Estava flutuando na água em cima de um pedaço de madeira, e com cara de fome. Coloquei-o em cima do ombro, trouxe o pequeno marujo a bordo e dei comida e água para ele.

Quando parti, três meses atrás, havia boatos que criaturas como essa estavam rondando o Club Penguin. Até aqui, ela parece estar muito contende no Migrator. Chamei o peludo de "Yarr" pois, sempre que falo isso, ele vem perto de mim.

2 de agosto de 2006[editar]

Por meus barris de Cream Soda! Encontrei de novo o meu diário de bordo. Não acredito que ele ficou quase um ano desaparecido e estava nos meus próprios aposentos! Acho que preciso organizar meu navio! Arrr!

Yarr e eu tivemos um ano ótimo. Achamos uma dúzia de ilhas novas, e arcas de tesouros suficientes para encher o navio. Encontramos chapéus, cadeiras, mesas, camisetas, cachecóis, sapatos e até mesmo uns agradinhos que não mostrei nem para o vento! Arr-ha! A maior parte do tesouro que Yarr e eu achamos está guardado na Ilha Rockhopper. Não há espaço para tudo isso a bordo do navio.

Yarr está muito feliz por passar a maior parte do tempo sentado no cesto da gávea, de olho vivo para avistar terra ou qualquer tesouro que estiver flutuando por perto.

25 de setembro de 2006[editar]

Não teria acreditado se não tivesse visto com meus próprios olhos, mas é uma luz! Uma luz lá longe. Yarr a avistou pela primeira vez ao anoitecer, e em seguida apontei a luneta e vi também! Parece mais brilhante que a luz do Farol do Club Penguin, mas mudamos o curso e estamos velejando na direção dela.

Retorno ao Club Penguin[editar]

Clique em expandir para ler o Enredo

1º. de outubro de 2006[editar]

Pela pinça do caranguejo! Não há mais dúvida, é mesmo o Club Penguin! Eu jamais esqueceria a cara gelada daquela ilha congelada. Mas ela parece diferente pela luneta. Tenho a impressão que há muito mais pinguins morando no Club Penguin do que na manhã em que eu parti.

12 de outubro de 2006[editar]

Desembarcamos amanhã! Hoje, olhando pela luneta, vi que já tem um barco no Ancoradouro. Meu título de capitão vai ser colocado à prova, pois esse marujo aqui vai ter fazer o grande Migrator atacar na praia.

É maravilhoso estar de volta. Vamos abrir o convés do Migrator para que todos possam ver e, é claro, vamos vender algumas tralhas e tesouros que juntamos durante a viagem. Yarr e eu organizamos uma feirinha para os outros pinguins. Ohoho, que belo dia!

17 de outubro de 2006[editar]

Pelas barbas do mamarão, que multidão de marinheiros de água-doce! Parece que todas as penas do Club Penguin estavam no meu navio nesses últimos dias. Mais de doze luas tinham se passado sem ver ninguém da minha espécia. Estou contente por estar em casa!

Muita coisa mudou desde que parti. Não sou o único com essas criaturinhas peludas de estimação, tenha a impressão que Yarr tem parentes de várias cores! Ei, pobre Yarr... ele nunca tinha visto tantos pinguins juntos! Quando viu a pinguinzada, correu para se esconder no compartimento de carga. Depois de visitar o Farol - eu lembro quando posei para aquela foto - explorei a Ila toda. Ganhei umas corridas de Morro Abaixo, fui jantar na Pizzaria e dancei no Dance Club. Esse marujo aqui não afunda nunca! Fui para a pista de dança e vi todo mundo copiando meus passos... Ei, aquele passo é invenção minha, marinheiros! Como é bom estar no meio dos pinguins de novo. Uma pinguim bonita do jornal local esperou bater um papo comigo. Ei, em poucos dias minha história de marinheiro será publicada palavra por palavra nesse valoroso vernáculo.

Andei consultando minhas cartas marítimas. Gostaria de fazer algo bem especial para todos os meus novos amigos, mas para isso preciso navegar de volta a minha ilha. Reconheço que levaria um mês para navegar até a Ilha Rockhopper e outro mês para voltar. Isso são dois meses, foram alguma mudança climática, o que significa estar de volta a tempo para o Natal. Eu sei qual seria o projeto presente de Natal, então vou içar velas de novo na sexta-feira. Ei, foi uma vista curta mas na próxima vez ficarei ancorado mais tempo!

Céus Noturnos[editar]

Clique em expandir para ler o Enredo

27 de outubro de 2006[editar]

Pelos fios da minha barba! A noite desabou sobre essas marés. Nunca em todas as minhas viagens tive uma visão como essa. Milhares e milhares de feixes de luzes prateadas brilham sobre o espanto enquanto escrevo em meu diário, aqui sob essas estrelas.

Tem só um obstáculo nisso tudo. Pelas penas do pinguim! Sem sol eu não tenho a minima ideia de como encontrar a Ilha Rockhopper. Tudo o que tenho são estas benditas e belas estrelas. Elas podem ser bonitas, mas me fazem perder um tempo preciso. E eu disse a meus companheiros que em dois meses estaria voltando.

32 de outubro de 2006[editar]

Descobri uma nova utilidade para a minha luneta. Apontei-a para o céu e observei uma estranha formação das luzes. Tracei a posição delas da melhor maneira que pude. Fico pensando, será que elas poderiam me guiar até a Ilha Rockhopper? Ei, aposto que sim! É melhor eu consultar minha carta marítima!

1º. de novembro de 2006[editar]

Ainda acho que o meu plano de navegar seguindo as estrelas era brilhante. Mas, arrr, nunca vou saber. Hoje de manhã acordei com o sol, brilhando e o céu azul radiante na janela de meus aposentos.

Agora vai ser fácil encontra a Ilha Rockhopper. Ei, teria sido divertido encontrar um modo de descobrir minha ilhota com as estrelas como guia. Fica para a próxima, talvez. Mas acho impossível, ter aquela vista de novo!

10 de novembro de 2006[editar]

Yarr está tão animado quanto eu com nosso retorno a Ilha Rockhopper. Desde que atracamos ontem, ele não tem me ajudado muito. Ora, ora, o que mais eu poderia esperar? Afinal, esse era o lugar onde ele brincava e tudo mais!

Na última vez em que visitamos a Ilha Rockhopper. Yarr me mostrou seu velho lar, exatamente neste ilha. E imagina que eu achei que a criaturinha estavam perdido no dia em que eu encontrei!

Acontece que Yarr só estava procurando aventura. Yarr e os outros da sua espécie sempre estão à procura de aventura, e eu tenho a aventura na medida para eles, arrr! Estou planejando levá-los comigo como presente de Natal a todos que quiserem adotar um.

16 de novembro de 2006[editar]

Ando ocupado nos últimos dias aprontando a Migrator para a missão de transporte mais importante para o Club Penguin. Transformei uma sala inteira do porão num lugar bem aconchegante para todos os puffles ansiosos em particular da aventura, como Yarr fez, meses atrás. Também preparei outros pacotes de carga para a minha loja.

Agora não posso me esquecer de vender os meus badulaques, posso?

18 de novembro de 2006[editar]

Hoje içamos as velas bem cedo. Todos estavam cansados... pinguins me mordam se o som de centenas de puffles roncando não é a coisa mais engraçada que já ouviu! Mal posso esperar para ver todos de olho arregalados quando verem todas essas criaturas felpudas.

Eu sei que eles adoram seus puffles de estimação e vão ser muito hospitaleiros com esses sujeitos vermelhinhos.

25 de novembro de 2006[editar]

Os amigos de Yarr estão bem a vontade do meu navio. Uma bando de fedelhos, mas escutam o que eu digo - e obedecem! Mesmo assim, de vez em quando, gostam de entrar em lugares onde não são chamados. Mas, fazer o que? Estou contente, porque eles estão gostando dessa vida de pirata.

7 de dezembro de 2006[editar]

Amanhã vamos chegar ao Club Penguin! Estou louco para ver a cara deles quando virem o que eu trouxe!

19 de dezembro de 2006[editar]

Argh, uma tempestade está se armando e acho melhor fugir da fera antes que ela faça tremer as cordas do Migrator. Vou sair do Club Penguin bem cedo para tentar escapar da tempestade.

A Tempestade[editar]

Clique em expandir para ler o Enredo

27 de dezembro de 2006[editar]

Quando saí do Club Penguin, naveguei veloz como o vento para fugir da tempestade. Mas ela foi implacável e acabou me alcançando. Nunca tinha visto uma ventania tão nervosa, cortando as ondas com tanta velocidades! Ainda estou tonto!

28 de dezembro de 2006[editar]

Esse marujo aqui não afunda nunca! A tempestade consegue deixar estragos enquanto bufava e seguia seu curso. Meu navio ainda tem as marcas dela... as velas estão esfarrapadas, o piso do convés foi arrancado e a estrutura levou umas belas bordeadas. Mas ei, ele continua firme na água... apenas navegando bem, mais devagar agora.

Já visitamos a Ilha Rockhopper. Vamos pisar em terra firme em poucos dias. Então vou tentar consertar os cordames antes de fazer a viagem de volta.

1º. de janeiro de 2007[editar]

Sempre é bom voltar para minha ilha. Dei um jeito de fazer uns reparos provisórios no navio. Vou ter que esperar voltar ao Club Penguin para os consertos definitivos. Não consegui fazer muita coisa para melhorar as velas, pelas barbas do camarão! Por mais que eu tente, parece que nada resolve!

Acho melhor pegar meu tesouro e escolher o que levar para meus marujos la do Club Penguin.

8 de janeiro de 2007[editar]

Parti da Ilha Rockhopper faz só uma semana. Hoje, o Migrator navegou sem problemas. Ei, até que os consertos temporários não estão tão ruins assim! As velas podem estar um pouco rasgadas, mas o vento sopra devagar e sempre. Sem duvida vamos chegar lá!

30 de janeiro de 2007[editar]

Nem acredito que encontrei no mar nesta semana... flamingos cor-de-rosa! Acho que eles seriam perfeitos nos iglus de todo mundo. Hoje vi as luzes do Farol ficar ainda mais brilhante. Por um tempo era apenas uma luz frama no horizonte. Essa é uma vista que vale a pena!

8 de fevereiro de 2007[editar]

Tenho certeza que todos podem ver meu navio da luneta do Farol e, provavelmente, estão imaginando o que aconteceu... essas velas rasgadas tremulando com a brisa devem ser uma vista e tanto. Quando eu chegar, vou começar os consertos imediatamente. O Migrator vai ficar pronto para outra! Há um monte de marinheiros-de-água-doce sempre dispostos a ajuda no meu navio, e, pelas boias de Boiacross, o Migrator precisa de mãos úteis.

Yarr estava ocupado pulando pelo navio desde que avistou Club Pengui. Amanhã estaremos na Praia. Enfim, descanso!

23 de fevereiro de 2007[editar]

O tempo tem passado tão rápido! Yarr e eu estamos trabalhando duro para voltar depressa ao Club Penguin. Será a viagem mais rápida que fizemos até hoje. Sem tempo para explorar o mar em busca de novos tesouros, vou ter que apelar para os meus suprimentos na Ilha Rockhopper e repor o estoque em outra viagem. Os consertos do Migrator estão aprovadíssimos! Sem nenhuma ameça a vista, o navio veleja suave. O mastro paira orgulhoso, capturado cada pé de vento ou ventania e ando empurrão extra que precisamos para ir cada vez mais rápido.

2 de março de 2007[editar]

Fico imaginando se os meus bons marujos lá da Ilha encontraram a pequena surpresa que deixei para eles... Estava guardando aquele tesouro para a hora certa, e depois de toda a diversão e das festas, fiquei com vontade de dividir um pouquinho da minha criatividade com aquele grupo de marinheiros-de-água-doce. Deixei a garrafa escapar das minhas nadadeiras não muito longe de onde partimos. Espero que eles a enxerguem, com a luneta. Sei que alguns marinheiros não param de olhar o oceano NUNCA. Será que eles vão gostar da minha história de aventura? Espero que meu amigo Bambadee consiga ler também.

Limpando o Navio[editar]

Clique em expandir para ler o Enredo

26 de março de 2007[editar]

Estamos navegando com ventos ligeiros, Yarr e eu. Deixei o Club Penguin com os suprimentos necessários para conseguir completar o meu plano mais importante. E claro, foi legal aquela equipe de limpeza ter emprestado o aspirador de pó e outros produtos. Agora chega! Tenho que lembrar de agradecer a eles quando voltar. Yarr está ansioso e pronto para começar o trabalho. Oh, oh, oh, ele adora o aspirador de pó!

30 de marco de 2007[editar]

Esvaziei o compartimento de cargas. Puxa! Não pensei que tinha tanto espaço no porão no meio daquela confusão colossal que só ocupava espaco. Agora, há uma pilha de butim prontinho para ser comprado. Yarr ajuda bastante, e decide onde todas as coisas devem ser guardadas. Eu até montei uma tenda para o tesouro! É ali que os pingüins vão comprar meus badulaques! Arrr, esses trabalhos poeirentos vão acabar e amanhã só vou descansar!

1º de abril de 2007[editar]

Chega de ficar preso no meio das caixas a caminho dos Aposentos do Capitão! Hoje fizemos as mudanças finais no compartimento de carga. Mal posso esperar que meus bons marujos do Club Penguin vejam isso! Eles nunca desceram ao porão, a não ser, é claro, o meu amigo Bambadee. Mas agora não vou mais ter passageiros clandestinos no meu navio. Sobrou muito pouco lugar para se esconder!

12 de abril de 2007[editar]

Desenrolar velas hoje. Estou empolgado para ver de novo o Club Penguin e convidar todos os meus bons marujos para conhecerem o porão. Vai ser um sucesso e tanto; cheguei até a fazer uma pequena decoração. Acho que Yarr está tão animado quanto eu. Ele estava pulando na borda de um barril de Cream Soda, ficou um pouco empolgado demais e caiu lá dentro. Não que ele tenha se importado. Ele bebe quase tanta Cream Soda quanto eu!

4 de maio de 2007[editar]

Pelas barbas do camarão! Que festa pirata! Nunca tinha visto a cidade tão luminosa. Foi um bom descanso do mar, mas já estou pronto para içar velas de novo. Pingüim ao mar! Yarr e eu estamos prontos para outra aventura!

16 de maio de 2007[editar]

Yarr e eu estamos embarcando em uma longa jornada de caça ao tesouro. Há muitos mares em que nunca naveguei, e, já que o Migrator veleja tão macio, vamos nos aventurar em território não mapeado. O navio está seguro e com um vigor magnífico! Tenho certeza que pode enfrentar essas águas misteriosas. Já era hora de caçar tesouros que esses pingüins nunca viram.

1º de junho de 2007[editar]

Ô de bordo! Estou acertando em cheio nesta viagem. Mapear águas novas foi a melhor idéia que já tive. Encontrei alguns tesouros interessantes para levar para o Club Penguin. Há um item para o qual eu ainda preciso dar um nome. Eu mesmo que fiz a partir de estranhos pedacinhos de jóias e tesouros que achei em várias ilhas diferentes. Esse negócio acabou ficando bem esquisito, mas pelo menos serve para dar risada! Arrrahaha!

8 de junho de 2007[editar]

Desembarquei no Club Penguin, e meus bons marujos pediram permissão para entrar nos Aposentos do Capitão. Argrr! Esses marinheiros-de-água-doce adoram colocar o bico onde nao devem! Mas por enquanto vou deixar meus aposentos trancados. Estou precisando de um lugar para planejar as minhas aventuras sem ser perturbado. Além disso, é o único lugar seguro no meu navio para as cartas marítimas. É melhor fazer meus mapas logo, pois não quero esquecer onde fica esse ponto do oceano tão cheio de tesouros.

18 de junho de 2007[editar]

Ei! Já posso ver o Club Penguin outra vez! Aqui está uma lista de coisas para fazer logo que atracar por lá:
- Jantar pizza de lula com algas marinhas (estou cansado da comida de marinheiro!)
- Dançar a dança do Capitão
- Fazer a parada do pirata!
- Explorar os lugares
- Passear

Fotos Divertidas[editar]

Clique em expandir para ler o Enredo

27 de junho de 2007[editar]

Bem na hora em que me preparava para zarpar mais uma vez, recebi a visita daquela repórter do Club Penguin News de novo. Parece que trouxe com ela um presente para mim, uma velha câmera! Arrr, é um belo presente. Tenho certeza que vou me divertir muito com essa geringonça moderna. Vou tirar algumas fotos para o jornal.

8 de julho de 2007[editar]

Pingüins me mordam! Demorei quase duas luas para descobrir como mexer nessa câmera, mas finalmente posso tirar algumas fotos!

Tenho certeza que vou me divertir como um peixe sem anzol com essa câmera!

4 de agosto de 2007[editar]

Agora tenho que velejar como o vento! Estou fazendo uma viagem especial para o luminoso Farol, e não tenho tempo para perder com essa entrega! Pingüins me mordam! Tenho uma bela surpresa para meus marujos! Tenho tanta coisa para levar que o Migrator vai ter que fazer duas viagens... afinal, Yarr e eu só conseguimos carregar um tanto de coisas no navio por vez! Não posso dar nenhuma dica sobre o que tem nessas caixas, mas tenho certeza que meus marujos na ilha vão se divertir como peixes sem anzol com o que tem aí dentro.

O Diário do Capitão Rockhopper Foto 09.png


9 de setembro de 2007[editar]

A segunda leva da carga para a minha Festa do Outono quase terminou sua jornada até o Club Penguin, e eu não podia estar mais satisfeito! Espero que meus marujos gostem de tudo que planejei ao balanço do mar! Se tudo correr bem, a ilha inteira vai se transformar no dia 21 de setembro e a festa vai começar! Mas não vou ficar ancorado por muito tempo. Gosto de uma boa festa, mas esses últimos meses de viagem da Ilha Rockhopper para o Club Penguin me deixaram terrivelmente cansado, e não tenho explorado muito os sete mares! O Migrator e eu já estamos com coceira no casco para ir em busca de novos oceanos. Mas, as primeiras coisas vêm primeiro. Tenho uma grande carga para entregar, arrr!

4 de novembro de 2007[editar]

Foram dois meses bem longos e a vista do Club Penguin do telescópio de Yarr é um colírio para meus olhos cheios de sal do mar. Passamos muitos dias procurando tesouros.

O Diário do Capitão Rockhopper Foto 10.png


Algumas semanas atrás avistamos um polvo indo na direção do Club Penguin. Pensei que tivesse tomado sol demais a bordo: por que é que ele estava usando uma peruca? Devia ser algum item perdido da Festa de Halloween. Peguei algumas bugigangas para minha loja! Mal posso esperar para vender meu butim e saber como foi a Festa do Outono!

Animação de Fim de Ano[editar]

Clique em expandir para ler o Enredo

25 de dezembro de 2007[editar]

O Diário do Capitão Rockhopper Foto 11.png


Yarr e eu tiramos algumas luas de folga para velejar em busca de presentes! Esse pestinha vermelho do mar recolheu conchas para transformar o mastro em árvore de Natal, e fizemos a dança do pirata para comemorar. Pelo balançar do navio, esse mês vai ser tranqüilo. O mar está quieto, e não há nem sinal de tesouro. Arr! Não gosto de lançar âncora sem ter nenhum butim para vender! Arrrgh! Vou vender meus coletes salva-vidas extras por um preço justo. Arrrahahah.

13 de janeiro de 2008[editar]

Até que enfim! Club Penguin à vista! Vimos de longe os fogos de artifício que meus marujos lançaram na ilha para comemorar o Ano Novo, e fizemos um brinde com uma caneca de Club Soda! Vamos navegar com um vento bem forte vindo do leste, e lançar âncora daqui a uma semana. Yarr viu um icebergue flutuando com a corrente, e eu tirei uma foto. Fico de penas arrepiadas só de pensar em ter que mudar o curso, então estou cruzando minhas nadadeiras para que essa pedra de gelo saia logo do caminho. A última coisa que preciso é um buraco no Migrator!

O Diário do Capitão Rockhopper Foto 12.png


Escritos Recentes[editar]

Clique em expandir para ler o Enredo

28 de abril de 2008[editar]

Arrahahah! Eu nunca pensei que fosse escrever no meu diário de novo! Pelas barbas do camarão! Nunca vi um livro sobreviver à água salgada! Basta! Existem poucas coisas nesse mundo que podem deixar até um peixe velho do mar como eu de bico aberto! Mas os últimos três meses chegaram bem perto! Depois da última vez que escrevi aqui, bem que eu tentei desviar, mas o Migrator bateu com tudo naquele iceberguezinho – e afundou! Arrrgh! A culpa foi desse cabeça de camarão aqui. Pelo menos Yarr e eu abandonamos o navio em segurança. Apesar de meus marujos no Club Penguin oferecerem para que ficasse em terra firme, eu sabia que não agüentaria por muito tempo. Eu tinha que voltar para a Ilha Rockhopper para pegar material para construir um navio novo. A viagem foi tranqüila, mas quando estava voltando para o Club Penguin, Yarr e euficamos com as penas (e pêlos) em pé ao ver as luzes no horizonte. Eles nos guiaram de volta, como as estrelas do céu! Mas o que me esperava? Pela pinça do caranguejo! O Migrator! Recuperado, restaurado, reformado e terminado! Que visão mais emocionante! Então, como prova de minha gratidão, vou dar a esses marujos tão valorosos a chave dos meus Aposentos, e deixar meu diário aqui para que eles possam encontrar esse velho livro de contos do mar! Por enquanto vou registrar minhas aventuras com as fotos no quadro de avisos no navio. E então termino meu diário da mesma maneira como comecei: com um Migrator novinho em folha à espera de grandes aventuras pelos sete mares! Minha gratidão a todos. Bons ventos os levem!

Galeria[editar]

Curiosidades[editar]

  • O diário costumava ser um item no jogo Aquagrabber durante o período em que o Migrator estava sendo reconstruído.
  • O Diário do Capitão Rockhopper descreve a Ilha Rockhopper.

Em outras línguas[editar]

Idioma Nome
Inglês The Journal of Captain Rockhopper
Francês Le Journal du Capitaine Rockhopper
Espanhol El diario del Capitán Rockhopper
Alemão Kapitän Rockhoppers Logbuch
Russo Бортжурнал Капитана Рокхоппера

SWF[editar]